Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

30
Nov15

Feliz Aniversário


O Informador

Feliz Aniversário.jpg

Autor: Danielle Steel

Data: Novembro de 2015

Editora: Bertrand Editora

Número de páginas: 312 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião:

Se um aniversário é bom, três então é bom demais! Os trinta, os cinquenta e os sessenta anos juntam-se num romance de Danielle Steel, uma das autoras de maior sucesso mundial. Será que conseguirei apontar falhas nesta obra de Steel, cujo o trabalho me tem conquistado romance após romance?

Escrito e idealizado como todos os restantes trabalhos da autora para não enfadar o leitor, em Feliz Aniversário somos transportados pela vida de duas estrelas televisivas e onde a família tem uma grande importância para ambos, onde os laços de amor não podem falhar. Estará uma pessoa que sempre esconde a sua verdadeira idade pronta para assumir que irá ser avó? Estará o amor pronto para fazer das suas com a diferença de idades? E uma critica gastronómica negativa conseguirá alterar a vida de duas pessoas para que estas passem a ser uma família? Várias são as questões que vão sendo colocadas ao longo da narrativa onde as respostas são um pouco previsíveis, o que não me afecta em nada com Steel porque quando pego numa das suas obras sei o que me espera, sei que não me quero cansar, querendo somente desfrutar de um bom romance onde o final costuma ser positivo, com o amor e os afectos a vencerem as batalhas contra as divergências de cada um. 

Adoro a escrita de Danielle e em Feliz Aniversário isso não é excepção. Este é um livro corrido, daqueles que dão vontade de pegar e seguir até ao final sem parar. Com esta obra dei por mim a ler um ou dois parágrafos num rápido momento em que tinha livre ao longo do dia somente porque queria saber mais um pouco do que estava para acontecer na vida de Aphil, Valerie, Jack e Mike.

Um romance de novo apaixonante, leve e rápido, sendo um bom companheiro para quem quer somente passar bons momentos com um livro nas mãos durante algumas horas. Aconselho!

30
Nov15

Por casa


O Informador

Agora quando estás de folga ficas em casa toda a manhã?!

Fico pois então e sabem a razão? Está frio na rua, dedico-me à leitura e coloco alguns episódios das séries que estou a acompanhar em dia. Qual o motivo de andar por ai a vaguear sem motivo algum?

Fico em casa e fico bem! Algo contra? Ah bom!

30
Nov15

Novos vizinhos


O Informador

A nova vizinhança chegou à porta do lado! Confesso que ainda não os vi, ainda não os ouvi e nem senti o cheiro sequer! Um casal e uma jovem adolescente atracaram no apartamento que estava para alugar há mais de um ano e preparam-se assim para fazerem parte do número quatro da rua onde sempre tenho crescido. 

Ao longo de grande parte da minha vida a «tia» viveu à nossa frente até aos últimos meses que passou no lar de idosos onde acabou por falecer. Agora uns novos habitantes acabam de invadir a casa onde sempre me senti bem com um familiar de empréstimo que cuidou de mim quando os meus pais tinham de sair e não me podiam levar e as coisas acabam neste momento por parecerem estranhas. Pessoalmente confesso que mesmo sabendo e ouvindo as explicações sobre quem se está a mudar por parte dos meus pais, a curiosidade não existe, talvez por sentir que aquele espaço onde tinha um pouco de mim não lhes pertence, não sei! 

29
Nov15

Xixi do Tomé


O Informador

Tomé Novembro 2015.JPG

Este menino faz as suas necessidades fisiológicas pela rua, quando de manhã e à noite vai dar a sua volta! Só que hoje ficou tão contente por estar a brincar na cama do dono, território geralmente proibido, que não aguentou a sua bexiga e quando demos por isso já os pingos e a mancha estavam a fazer marcação no edredão azul. 

Oh Tomé, como é que fizeste isto? Uma autêntica criança que com a brincadeira consegue esquecer-me que tem de pedir para fazer xixi no seu local habitual.

29
Nov15

As dificuldades da Vodafone


O Informador

Três é o número de vezes em que fiz o pedido de desbloqueio do telemóvel no último mês à Vodafone e três foram as negas que a operadora me deu indiretamente. Primeiro fui a uma loja, esperei cinco dias por uma sms que nunca chegou! Após ter percebido que nada tinha acontecido liguei para a operadora e fiz novo pedido, o que voltou a não resultar, sem qualquer aviso após os cinco dias do pedido. Voltei a dirigir-me a uma loja da operadora, voltei a fazer o pedido de desbloqueio em modo de protesto e após o prazo nada voltou a acontecer. 

Liguei para o Apoio ao Cliente onde é complicado falar com um operador e protestei, só faltando dizer que a Vodafone é uma ... quando é necessário tratar de algum assunto que não os beneficia. Já estou em stand by há um mês por culpa de uma operadora que não consegue resolver a sério uma situação. Percebo que não querem ver os clientes a fugirem mas com tais atitudes também não pensem que vou ficar num local onde percebo que não conseguem facilitar a vida do cliente. 

Com um rapaz do outro lado da chamada, um fanhoso por sinal, expliquei em alto e bom som todo o processo demorado e complicado, e sem me ter explicado enquanto falávamos diz que voltou a fazer o pedido de desbloqueio, o que terei de esperar por mais uns cinco dias por uma sms com a afirmação que já está tudo resolvido.

28
Nov15

Blogs de folga


O Informador

Os fins-de-semana aparecem e a comunidade de bloggers e mesmo os loucos pelas redes sociais parecem acalmar as suas partilhas e pensamentos. O que acontece com esta gente que desapare ao longo do fim-de-semana, não publicando, não partilhando, não comentando, não gostando, ...?

O que dá a sensação é que a maior parte dos bloggers faz a sua vida da internet ao longo das horas de expediente, ficando depois em pausa quando o descanso laboral aparece. Ou seja, enquanto se está a roubar horas ao patrão é ver novos posts a aparecerem, novas imagens, novos textos, novos comentários e por ai fora. Aos fins-de-semana, férias e folgas tudo fica offline, perdendo o pio e a vontade de estar on como nos restantes dias e horários. 

28
Nov15

Bilhetes para Alice no País das Maravilhas


O Informador

O espetáculo Alice no País das Maravilhas, protagonizado por Sofia Arruda, está de regresso a Lisboa em mais uma iniciativa Teatro no Cinema. De 03 a 27 de Dezembro a história criada por Lewis Carroll regressa assim ao público da capital, após várias temporadas pelo país. Como o ano passado foi um sucesso e este ano pretende voltar a encher a sala do UCI El Corte Inglés esta fantástica história está assim de portas abertas a todos nós!

Para dar as boas-vindas a este regresso de Alice e companhia a Lisboa, eis que surge este passatempo com a atribuição de cinco convites duplos para a sessão das 11h00 de dia 6 de Dezembro. Como participar? Basta ler o que se segue... 

Alice no País das Maravilhas.png

27
Nov15

Bilhetes para A Bela e o Monstro


O Informador

A época natalícia está ai e a magia do momento faz-se sentir! Para acompanhar estas semanas que antecedem o Natal a Yellow Star Company volta a apostar, e muito bem, numa nova temporada do espetáculo musical A Bela e o Monstro que regressa assim ao palco do Teatro da Trindade para de 20 de Novembro a 27 de Dezembro voltar a esgotar sessão após sessão a sala que pelo ano passado recebeu o público que vibrou com esta história que agrada a miúdos e graúdos. 

Em 2014 vi, adorei, recomendei e hoje volto a fazê-lo, reforçando ainda a ideia com um passatempo onde cinco convites duplos estão em sorteio. Sendo assim, quem quiser assistir a este maravilhoso conto com a ajuda d' O Informador tem aqui a sua oportunidade. Para se habilitarem a um dos convites para a sessão de 5 de Dezembro, pelas 11h00, de A Bela e o Monstro só têm de continuar a ler o que se segue e perceber como participar neste passatempo é fácil.

 a bela e o monstro.jpg

27
Nov15

Atual leitura... Feliz Aniversário


O Informador

O mais recente livro de Danielle Steel lançado pela Bertrand Editora acabou de me chegar às mãos e já irá ser devorado como se não houvesse amanhã. Adoro esta autora, como bem sabem, e poderia lá perder a oportunidade de deixar um Feliz Aniversário de lado. Três pessoas. Três aniversários. Três momentos decisivos. Tudo parece acontecer nesta recente obra de uma das autoras mais conhecidas do mundo. Vamos cantar os parabéns a alguém? Logo que terminado já sabem que opinarei sobre Feliz Aniversário!

Feliz Aniversário.jpg

Apagar as velas. Dizer adeus ao passado. Pedir um desejo para o futuro. Valerie Wyatt é a rainha da elegância. Desde que se divorciou, há já bastante tempo, criou um programa de televisão com muito êxito e chegou ao auge da carreira. Vive numa penthouse da Quinta Avenida e tem uma vida cheia de estilo. Então, porque se sente tão deprimida? Porque nem todas aquelas horas que passa com o seu treinador pessoal, os cabeleireiros e cirurgiões plásticos conseguem camuflar a verdade: Valerie vai fazer sessenta anos. A sua filha, April, gasta todas as suas energias no restaurante original e bem-sucedido que gere em Nova Iorque. Não tem vida amorosa nem perspetivas de vir a ter uma. Mas a sua vida está prestes a mudar, numa tumultuosa transformação que começa na manhã em que tem consciência do seguinte: tem trinta anos. E o que fez da sua vida? Jack Adams é o crítico desportivo mais carismático da televisão. Doze anos depois da reforma, continua a sair com as jovens de vinte e tal anos mais bonitas. Mas Jake acorda no dia em que faz cinquenta anos cheio de dores nas costas, a sentir todo o peso da sua idade. Num livro caloroso e inspirador, que começa com um aniversário e termina com outro, Valerie, April e Jack descobrem que é a própria vida que se deve celebrar e que as suas maiores dádivas chegam sempre de surpresa…

26
Nov15

A Bela e o Monstro também Poupa Mais


O Informador

A Bela e o Monstro Pingo Doce.jpg

O ano passado assisti por esta altura ao musical A Bela e o Monstro, lembram-se? Posso ainda não ter bilhetes duplos para oferecer do regresso desta fantástica produção ao Teatro da Trindade para nova temporada natalícia, no entanto recebi uma boa notícia do Pingo Doce. 

Pois é, quem tiver cartão Poupa Mais poderá ir assistir ao A Bela e o Monstro por um preço especial. 30% de desconto no bilhete individual que passa dos 15€ para os 10,50€. E um pack família por 32€ onde duas crianças terão de estar no lote deste bilhete familiar. 

26
Nov15

O Coro dos Defuntos


O Informador

o coro dos defuntos.jpg

Autor: António Tavares

Ano: 2015

Editora: LeYa

Número de páginas: 216 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião:

Vencedor do Prémio LeYa 2015, O Coro dos Defuntos é daquelas narrativas que sabe bem levar. Criando um retrato rural de Portugal e relatando os acontecimentos mundiais entre 1968 e 1974, época tão conturbada pelo nosso país, nesta obra as personagens opinam sobre tudo e mais alguma coisa da forma que nos tempos de hoje conseguimos visualizar como os acontecimentos foram vivenciados tanta vez à distância por outras épocas. 

Com as notícias a chegarem a uma pequena aldeia através da imprensa que poucos conseguiam ler, da rádio e dos primeiros televisores, O Coro dos Defuntos é um verdadeiro retrato social, recheado de humor e com um cuidado linguístico único. Com descrições incríveis sobre cada cidadão que se vai cruzando no centro da aldeia, todos são tão peculiares que conseguem conquistar ao longo de cada momento o leitor que sente que quer seguir em frente na história de um país onde Salazar cai da cadeira e o Carnaval brasileiro faz furor pelos primeiros anos junto dos portugueses que aprenderam a ver a preto e branco o que se passava ao virar da esquina.

25
Nov15

Donos da estrada


O Informador

As estradas nacionais não são assim tão más como as pintam, o que anda mal são as pessoas que nelas circulam, aqueles que se acham os donos do asfalto de alcatrão. Neste campo falo essencialmente dos condutores de veículos pesados e dos taxistas! Será que aqueles condutores acham-se mesmo na prioridade de encostarem os carros ligeiros para canto só porque andam várias horas seguidas na estrada e acreditam que conduzem exemplarmente bem?!

Circular ao lado ou nos arredores de certos camionistas pela auto estrada é como andar em Lisboa com um táxi atrás! Querem andar e seguir viagem, nem que para isso tenham que amolgar quem está a caminhar na sua vidinha normal.

Os camionistas aceleram até não conseguirem mais, esquecendo-se que nem todos temos que seguir com a mesma velocidade de quem não tem miolos suficientes para pensar que coloca vidas em perigo devido às pressas e por terem demasiada confiança em si próprios. Os condutores de pesados em plena auto estrada abusam da confiança no veículo que têm em mãos, querendo andar sem parar e exigindo que todos lhe saiam da frente, mesmo que para isso sejam corridos riscos desnecessários.

Pág. 1/5

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________